DOM 19 DE NOVEMBRO DE 2017 - 19:25hs.
Felipe Andrade, Player Development da Royal Caribbean

“A legalização será um excelente caminho para ampliar o turismo e gerar empregos”

(Exclusivo GMB) – A Royal Caribbean realiza cruzeiros pelo mundo tendo cassinos entre as suas atrações. Em conversa com o GMB, Felipe Andrade, Player Development da empresa na América Latina, afirma que a aprovação da lei do jogo no Brasil tem criado expectativa no mercado e que trará um novo caminho de desenvolvimento. “O que mais agrada é o potencial do Brasil, seus 200 milhões de habitantes, um dos maiores PIBs e as lindas paisagens naturais”.

GMB - Explique para nós quais atividades a Royal Caribbean tem desenvolvido no Brasil e quais são os planos da empresa para o país.
Felipe Andrade - Atualmente no Brasil, a Royal Caribbean International é líder de vendas no mercado para viagens de cruzeiros internacionais, possuímos 25 navios realizando cruzeiros por todo o mundo. Nos últimos 10 anos, tivemos navios de cruzeiros nas temporadas de verão no Brasil e America do Sul, dessa forma foi possível fortalecer a nossa marca cada vez mais no mercado local. Porém, em função da crise política e econômica que estamos vivenciando, a companhia optou por não enviar mais cruzeiros para o Brasil desde o ano passado até que o cenário econômico localvolte a melhorar, por esse motivo o foco das vendas no mercado Brasileiro estão voltados apenas para viagens internacionais.

Sobre o processo de legalização dos jogos no Brasil, como você avalia o andamento dos projetos que estão em tramitação no Congresso?
Tenho acompanhado as notícias sobre o assunto e conversas nos bastidores de pessoas ligadas ao setor de jogos que estão atentas ao processo de legalização do mesmo no Brasil, ao meu ver a crise política é a grande dificuldade no momento para que os dois projetos em tramitação possam ter continuidade para serem aprovados o mais breve possível. Porém, como o governo atual está buscando novos meios para governar e fazer de tudo para colocar o Brasil nos trilhos novamente, como estão dizendo, acredito que a legalização dos jogos possa sim, ser um excelente caminho para que arrecademos mais tributos para o país, desenvolvendo o turismo local e oferecendo mais empregos para a sociedade.

Você participou do último BGC em um painel falando sobre a fidelização de jogadores VIP’spara os cassinos. Durante o evento você sentiu que os empresários estão confiantes na aprovação da lei do jogo? O que tem agradado o mercado e o que ainda gera alguma preocupação?
Sim, certamente os empresários estão confiantes na aprovação da lei que legalizará os jogos, pois será uma grande oportunidade para a expansão dos negócios para as empresas internacionais. O que mais agrada o mercado é o potencial que o Brazil oferece, um país com mais de 200 milhões de habitantes, com um dos maiores PIBs do mundo e sendo um país tropical considerado por todos como um destino de lindas paisagens naturais. Por outro lado, obviamente a crise política é o fator que mais os preocupam, pois isso é o que pode determinar o quanto tempo mais levará para que ocorra a aprovação da lei do jogo.

Em relação aos cassinos em cruzeiros, que modelo de legislação a empresa considera mais apropriado para que a industria se desenvolva com segurança e traga bons resultados para os investidores e para o país?
Nos cruzeiros da Royal Caribbean, como os cassinos apenas funcionam quando os navios atingem águas internacionais, no caso do Brasil são 12 milhas náuticas (aproximadamente 22 quilômetros), nós seguimos as leis dos cassinos Americanos, mais precisamente pode-se dizer que possuímos os mesmos padrões que Las Vegas.

Ainda sobre os cassinos em cruzeiros, qual a sua visão sobre o público que o setor irá atender? Acha que os brasileiros vão abraçar essa ideia de jogar enquanto viajam?
Nós não vemos a mesma frequência de jogadores que os cassinos em terra vêem normalmente, pois realizar uma viagem de cruzeiro exige uma programação e planejamento com certa antecedência. Sim, os Brasileiros amam viajar e aproveitar tudo que é novidade. Claro que atualmente, podemos considerar que apenas as pessoas que possuem uma certa condição financeira têm acesso para realizar viagens internacionais, sendo assim muitas delas se encantam durante a viagem para saber como é a sensação de jogar em um cassino.

A geração de empregos é uma das principais defesas em relação à legalização do jogo. A criação de cassinos em cruzeiros também criará novas vagas? Como são essas vagas e como os profissionais interessados devem se preparar para elas?
Falando em geração de empregos, a Royal Caribbean oferece muitas vagas de empregos em diversos departamentos incluindo o cassino, e atualmente a bordo dos nossos navios temos mais de 30 mil tripulantes de 78 diferentes nacionalidades. Oferecemos um contrato internacional com durabilidade de 6 à 9 meses, existem 2 principais exigências para qualquer vaga de trabalho, o domínio do Inglês e experiência mínima de 1 à 2 anos na área de interesse.http://www.royalcareersatsea.com/

Que tipo de parceria com empreendimentos em terra seria possível para o setor de cassinos em cruzeiros? O que planejam nesse sentido de possíveis parcerias?
As parcerias no setor de cassino em cruzeiros e cassinos em terra, devem trazer oportunidades de negócios para ambos os lados, sendo que normalmente isso se dá através de ofertas e benefícios nos programas de fidelidade entre cada uma das companhias. Além de participar de eventos nos estabelecimentos parceiros, e realizar a divulgação da marca nos canais de comunicação com os jogadores. Estamos buscando novas oportunidades de parcerias na America Latina em geral, e atualmente consideramos o México como um grande mercado que o jogo é legalizado.

Aprovada a lei do jogo e os cassinos em cruzeiros sendo regulamentados, o setor já estaria pronto para começar a operar no Brasil? Quanto tempo seria necessário para uma adaptação a nova legislação?
Mesmo nos países onde o jogo é legalizado, os navios de cruzeiros da Royal Caribbean não operam os cassinos em águas nacionais, portanto a legalização do jogo no Brasil não nos afetará diretamente. Acredito que possa contribuir positivamente, pois com o passar do tempo após o projeto de legalização dos jogos ser aprovado e o jogo fazer parte da cultura no país, mais jogadores Brasileiros se motivarão a jogar durante as viagens de férias nos cruzeiros.

Fonte: Exclusivo GMB