SÁB 23 DE JUNHO DE 2018 - 07:02hs.
Gabriel Castro, Diretor Executivo

Brasileira Real Poker lidera o mercado e projeta uma nova linha para cassinos

(Exclusivo GMB) - 'Com sede em Goiânia e mais de 1000 clientes, a Real Poker fabrica mesas e fichas de jogo com funcionários brasileiros e matéria prima 100% nacional. 'Vendemos para home game, celebridades como Neymar e até grandes grupos como WSOP e BSOP. Considero nossas mesas melhores do que a maioria das estrangeiras e para 2018 estamos trabalhando uma nova linha de mesas para cassino (black jack, roleta, craps e baccarat)', diz Gabriel Castro, Diretor Executivo da empresa.

GMB - A Real Poker é a mais importante empresa brasileira na fabricação de mesa e fichas. Como você conseguiu isso? Conte-nos um pouco como você começou.
Gabriel Castro - Nossa operação começou no final de 2011 quando fui comprar uma mesa de poker profissional para jogar em casa com meus amigos. Existiam poucas empresas no Brasil oferecendo o serviço e nenhuma delas atendia minhas expectativas de qualidade e para entregar em minha cidade a empresa não oferecia o serviço de frete. Vendo essa lacuna no mercado e o potencial do poker eu busquei como fazer a primeira mesa de poker para o meu home game, e sem seguida começamos a fabricar para venda.

Durante toda nossa trajetória fabricamos produtos de alta qualidade, por um preço justo, e dando segurança para o cliente do pedido à entrega. Várias inovações como design, USB nas mesas para carregar o celular, embaralhadores automáticos e outros itens foram muito importantes também para o nosso posicionamento no mercado.

Quantos clientes você tem hoje e qual a sua diferença em comparação com seus concorrentes para ter uma posição tão forte no mercado? Na loja online dá para ver que podem ter como cliente desde o WSOP até um jogador amador que queria instalar uma mesa em sua casa para convidar amigos.
No último ano atendemos mais de 1.000 clientes. Além dos nossos valores que são o pilar do negócio (Comprometimento - Eficiência - Qualidade - Inovação - Honestidade), desde o começo trabalhamos muito forte não só em campanhas de venda, mas também em campanhas para despertar o desejo de jogadores terem uma mesa profissional em casa. Além de ser uma das primeiras empresas do segmento, a Real Poker trabalha forte para o crescimento do Poker, investindo em várias frentes que ajudam na expansão do esporte.

Acreditamos que o poker é democrático e então trabalhamos para que possa ser jogado por todos, independente de classe social, idade, sexo e etc. Quando se trata de Home Game, atendemos desde grupos de amigos que dividem o valor da mesa e das fichas  a grandes empresários ou celebridades como Neymar.  E se tratando de clubes e torneios, também atendemos e ajudamos os pequenos negócios regionais até grandes grupos como WSOP, BSOP e Enjoy.

Em que parte do Brasil está sua fábrica e quantas pessoas ela emprega?
Estamos estrategicamente localizados em Goiânia/GO, exatamente no meio do pais. Como as mesas são grandes e pesadas, elas dependem na maioria das vezes de transporte terrestre. O Brasil e um país grande, então nossa localização nos permite entregar em todos os cantos do Brasil de forma ágil e com custo reduzido.

Todo o seu processo, desde o momento em que é fabricado até o produto ser entregue, é totalmente realizado por funcionários brasileiros? Imagino que também haja um forte investimento em tecnologia para isso.
Nossa produção possui muitos maquinários para automatização, e todos são operados por funcionários brasileiros. A Real Poker hoje emprega 18 funcionários.

Vocês também fazem exportação? Em quais países podemos encontrar seus produtos?
Sim, fazemos exportação. Já enviamos produtos para o grupo Enjoy no Chile e no Uruguay,  para o PartyPoker em Londres, alguns outros casinos  no Paraguai e Colombia, e vários clientes de Home Game nos países vizinhos. 

Devido à qualidade de suas mesas e fichas, temos a sensação de que é uma empresa brasileira, mas, que não deve nada os que estão fora e sua qualidade é igual ou superior. Pode falar um pouco sobre essa concorrência com as empresas estrangeiras?
Eu estou sempre visitando casinos e feiras pelo mundo, considero nossas mesas melhores do que a maioria das empresas estrangeiras. Nas fichas concordo que nosso mix ainda é simples se comparada as usadas nos casinos, mas é o suficiente para atender o mercado atual de poker. A Real Poker já está preparada para mudar nosso mix de produtos para atender o novo mercado de casinos e bingos.

Além do aspecto de qualidade, a Real Poker trabalha com matéria prima das mesas 100% brasileira, e das fichas 60% brasileira. Esse fator da matéria prima nacional juntamente com a desvalorização da moeda brasileira nos ajuda muito na competitividade com empresas estrangeiras.    

Mais e mais jogadores brasileiros participam dos melhores torneios do mundo e até muitos clubes de poker são abertos no país. Esse é um ótimo momento para o poker brasileiro?
Os números são muito bons e continuam crescendo, mas se olharmos a quantidade de habitantes do Brasil dá para ver que ainda é só o começo.

Você pode falar um pouco sobre alguns de seus projetos ou objetivos para este ano de 2018?
Para 2018 estamos trabalhando na nossa nova linha de mesas para casino, já fizemos algumas unidades. Acreditamos que se um dos objetivos da lei dos jogos de fortuna é estimular o mercado interno, faz total sentido uma empresa como a Real Poker 100% Brasileira atuar nesse mercado, com funcionários brasileiros e matéria prima brasileira.

   

Qual é a sua opinião sobre a legalização do jogo no Brasil? Você acha que este é o ano da abertura do mercado?
Eu acredito na abertura do mercado de jogos no Brasil ainda em 2018 antes da eleição presidencial.

A Real Poker está pronta para fabricar mesas, roletas e outros elementos para futuros cassinos? Eu imagino que isso significaria crescimento e geração de mais emprego na sua empresa, certo?
Já temos os projetos e fabricamos algumas unidades de mesas de black jack, roleta, craps e baccarat. Com os futuros casinos e bingos isso significa não só um crescimento de emprego da minha empresa mas como de toda a cadeia de abastecimento. Todos os fornecedores de madeira, espuma, couro, e todos os mais de 200 itens que usamos são nacionais.

O seu conhecimento do país e da rede de clientes será um diferencial em comparação com outras empresas que chegarão para competir?
Estou certo que vamos ter uma concorrência em um patamar muito maior do que a que temos hoje. Só espero que o governo também olhe para isso e de alguma forma proteja a produção interna, assim como já é feito em alguns outros seguimentos. O Brasil tem muitas particularidades da qual já temos muita experiência, talvez isso seja um diferencial não para competir e sim um diferencial para unirmos estrategicamente a uma grande empresa estrangeira. Essa idéia nos parece boa, mas não estamos trabalhando para isso e sim para entrar forte no mercado e competir de forma agressiva. 

Fonte: Exclusivo GMB

Galería de fotos