SEG 20 DE AGOSTO DE 2018 - 21:38hs.
Um fenômeno presente

Como em todo o mundo, a febre dos eSports não para de crescer no Brasil

Os esportes eletrônicos, também conhecidos como eSports ou e-games compõem uma das partes do entretenimento online que mais cresceram nos últimos anos. O Brasil é o maior mercado de games da américa latina, tendo movimentado mais de 1,3 bilhão em 2016, seguido pelo México com 1,1 bilhão, sendo um terreno fértil não só para o desenvolvimento de jogos, mas também para os mercados que orbitam a subcultura gamer.

Os esportes eletrônicos, também conhecidos como eSports ou e-games compõem uma das partes do entretenimento online que mais cresceram nos últimos anos. Só em 2017, o segmento movimentou mais de US$ 100 bilhões nos mais de 3600 torneios ao redor do mundo, mobilizando cerca de 15 mil jogadores.

De acordo com a Comunidade eSports Earnings, que divulgou o ranking dos 10 jogos que mais pagaram prêmios em 2017, Dota 2 segue encabeçando a lista, tendo distribuído cerca de US$ 37 milhões em prêmios. Na sequência temos Counter-Strike: Global Offensive distribuindo US$ 19 milhões e League of Legends chegando na casa dos US$ 11 milhões.

Maiores Premiações de 2017
DoTA 2 – 37 milhões
Counter-Strike: Global Offensive – 19 milhões
League of Legends – 11 milhões
Heroes of the Storm – 4 milhões
Call of Dutty: Infinite Warfare – 4 milhões
Overwatch – 3 millhões
Starcraft II – 3 milhões
Hearthstone – 3 milhões
Halo 5: Guardians – 1,75 milhão
H1Z1 – 1,5 milhão

* valores em dólares americanos

Apostando no crescimento do mercado de jogos e e-games, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil) formou parceria com a ABRAGAMES – Associação Brasileira de Desenvolvedores de Jogos. A parceria trouxe o projeto Brazilian Game Developers, com o objetivo de promover a indústria brasileira de jogos no exterior.

A parceria, iniciada em 2013 teve início com o mapeamento dos polos de desenvolvimento de jogos no Brasil. De acordo com os números da agência, em 2015 as empresas atendidas pelo projeto contabilizaram cerca de US$ 11 milhões em negócios internacionais. Em 2016 o número saltou para 17,4 milhões e esse número só tende a crescer, agora que as empresas passaram a contar com programas públicos de financiamento.

Vale lembrar que o Brasil é o maior mercado de games da américa latina, tendo movimentado mais de 1,3 bilhão em 2016, seguido pelo México com 1,1 bilhão, sendo um terreno fértil não só para o desenvolvimento de jogos, mas também para os mercados que orbitam a subcultura gamer.

Com o crescimento da subcultura dos esportes eletrônicos, outros negócios começam a orbitar o segmento. Em São Paulo, na Vila Madalena, já é possível tomar uma cerveja enquanto assiste a uma partida de League of Legends, Counter-Strike ou outro e-Sport. O bar que também serve porções e drinks temáticos também disponibiliza consoles antigos e computadores para os visitantes se divertirem.

Principais campeonatos de e-Sports ao redor do mundo

  • The International: Campeonato de Dota 2 realizado anualmente pela Valve Corporation, desenvolvedora do jogo.
  • League of Legends World Championship: Campeonato mundial organizado pela Riot Games.
  • ELEAGUE Major: Campeonato mundial de Counter-Strike: Global Offensive.
  • Evolution Championship Series: Essa competição gira em torno dos jogos de luta. Street Fighter, Marvel vs. Capcon, KoF, Smash Bros e muito mais. Acontece desde 1996.
  • Campeonato Brasileiro de League of Legends: É o maior campeonato de e-Sports do Brasil. Na final de 2016 o campeonato teve uma audiência de 2,1 milhões de pessoas (cerca de metade da audiência da final do Campeonato Brasileiro)

Fonte: GMB / blog.p4f.com