TER 24 DE OUTUBRO DE 2017 - 09:31hs.
BGC - Painel sobre Apostas Esportivas

“Mercado brasileiro de apostas é grande e temos a oportunidade de regulá-lo”

Pedro Lucas da ApostasOnline.com, Clive Tilley do Ori Entertainment Group , Capitain Kip Peterson do Thorsborg Institute e Patricia Borsato, Advogada da OAB/SP debateram sobre oportunidades que serão geradas com a medida provisória elaborada pelo Ministério da Fazenda, o mercado existente, tributação e a polêmica das apostas online e em locais físicos.

O painel sobre a Apostas Esportivas do BgC, foi moderado por Mauro de Fabritiis, que começou perguntando aos painelistas sobre a visão deles sobre o atual mercado de apostas no Brasil, todos concordaram que o setor existe no Brasil e que precisa ser regulado de uma forma abrangente; como disse Pedro Lucas, do ApostasOnline.com.

"O mercado já existe, o mercado é muito grande. A gente tem uma oportunidade para os jogadores se tornarem legais e para as empresas operarem. O jogo online é legal, a legislação brasileira não ataca a nossa conduta, então, regulação tem que ser viável para todos e tenham um mercado para todos”, afirmou Lucas.

O assunto seguinte foi sobre a polêmica se pode haver apostas online e apostas em locais físicos. Durante o debate foi colocado que a instalação de locais físicos no Brasil não acontecerá muito cedo, porém, os dois podem conviver e gerar ganhos ao país. Assim explicou Capitain Kip Peterson do Thorsborg Institute:

"Não é um ou outro, são os dois. Ter na terra faz sentido, vai ter mais apostadores. Esses pontos de apostas vendem mais, são sociais. Não vamos dificultar isso, é um produto tecnológico, nós temos que usar a tecnologia para regular isso e não podemos matar a galinha dos ovos de ouro antes com impostos”, concluiu.

Quando o assunto foi tributação, outra vez veio a tona o tema de tornar o mercado interessante tanto para os apostadores quanto para os operadores. Foram usados exemplos como o de Portugal e da Inglaterra onde, segundo os painelistas, tributações equivocadas têm afastado tanto clientes quanto empresas.

E nesse cenário surgiu um novo ator importante, a tecnologia. Para os debatedores, hoje existem mais mecanismos para que o apostador procure, outros meios para apostar sem ter que pagar impostos, assim como também existem opções para empresas oferecerem esses serviços.

Fonte: GMB

Galería de fotos