QUI 26 DE ABRIL DE 2018 - 23:43hs.
Tiago Almeida, CEO do EgamingServices

“O mercado brasileiro representa quase 70% da nossa receita global”

Antes de viajar a SP para ser palestrante no BgC, Tiago Almeida , fundador e CEO da Egamingservices concedeu uma entrevista ao GMB para falar sobre sua aceleradora de negócios digital, focada 100% no iGaming que oferece soluções de licenciamento, branding, marketing, gerenciamento operacional, CRM, PR e mais. Sua companhia tem escritórios no Brasil, Uruguai, Malta e Portugal. “Abraçamos e aplaudimos o tema do BgC, que este ano é “Strengthening Roots” (Fortificando raízes)”, comenta.

Tiago Almeida iniciou a sua carreira na indústria de jogos online em 2006. Com uma experiência profissional em empresas líderes como a Bwin e a Dragonfish, esteve envolvido em diferentes funções operacionais e de marketing seniors com foco no mercado da América Latina. Em 2016, Tiago fundou a Egamingservices, empresa com escritórios no Brasil, Uruguai, Malta e Portugal, que fornece serviços operacionais e de marketing para as operadoras de jogos on-line que querem monetizar oportunidades na América Latina.

GMB - Antes de tudo, gostaríamos que apresentasse a Egaming Services aos nossos leitores.
A EgamingServices surgiu em 2016, após entendermos que existia um interesse cada vez maior de startups ou empresas já consolidadas que pretendiam investir em novos mercados e aumentar o seu volume de negócios. Uma vez que existia já uma experiência de mais de 10 anos da equipa de sócios que fundaram a Egamingservices, foi natural colocarmos o nosso conhecimento à disposição do mercado.

Imediatamente entendemos que apenas oferecendo uma solução 360 graus, poderíamos satisfazer a exigência dos nossos clientes. Por isso, criamos imediatamente uma sucursal em Malta, que se especializou em projetos de licenciamento internacional. Entendemos que esse serviço, seria o alicerce do site, que mais tarde poderia dar inicio aquilo que é o nosso serviço "core", a gestão da operação. Para isso, decidimos investir e contratamos alguns dos melhores especialistas em jogo online, na área de Marketing, Afiliação, Operações e Finanças.

Hoje, contamos com uma equipa com mais de 35 pessoas, presentes em 4 países. Conseguimos em pouco mais de 60 dias, iniciar uma operação de jogo online em toda a América Latina, Europa ou África.

Hoje, somos uma aceleradora de negócios digital, focada a 100% no iGaming. A nossa solução oferece licenciamento, branding, marketing, gerenciamento operacional, CRM, PR e muito mais. Oferecemos mais de 18 serviços aos nossos parceiros e pretendemos continuar a investir no aumento da cooperação com os nossos clientes. A nomeção para os EGR B2B awards, logo no nosso primeiro ano de existência, foi uma grande distinção que não só honrou esse investimento que foi feito, como definiu um patamar de exigência que pretendemos continuar a honrar nos próximos anos.

Qual sua avaliação do BgC e quais suas expectativas para o evento?
Na eGamingServices cada evento é uma nova oportunidade de networking e desenvolvimento de relações de negócios. Encaramos estes eventos não só pelas oportunidades comerciais, mas como espaços onde podemos encontrar novos parceiros, que agreguem valor ao serviço que prestamos aos nossos clientes, que são os sites de apostas. Aqui, o Brasilian Gaming Congress tem um papel essencial, uma vez que o mercado Brasileiro representa quase 70% da nossa faturação global. Abraçamos e aplaudimos o tema da feira, que este ano é “Strengthening Roots” (Fortificando raízes). A nossa experiência no mercado regulado Português, poderá aqui ser muito importante, uma vez que acreditamos que potencialmente existirão semelhanças na abrangência de uma futura lei. Em todos os contactos que fazemos com operadores de apostas online, o tema regulação no Brasil está presente. Achamos ser essencial discutir este tema no evento e partilhar a nossa visão. Apenas com um eco-sistema tributário justo e acessível ao investimento aberto o jogo irá prosperar no Brasil.

Como mostrar ao Brasil as imensas possibilidades e estratégias a serem adotadas para semear a cultura do jogo num país que está há mais de 70 anos sem cassinos?
Ainda que a lei tenha afastado a existência dos cassinos físicos em território brasileiro, existe uma cultura de jogo e diversão muito sólida que deve ser aproveitada. Em todas as formas de jogo, onde não só entra o Cassino, mas também as Apostas Esportivas ou Jogo do Bicho, entendemos que existe uma demanda em sentido ascendente. Aqui a segurança e credibilidade dos operadores tem um papel essencial. A nossa intervenção no BGC, demonstrará precisamente que com uma mensagem positiva, os meios de pagamento adequados e um excelente plano de marketing, é possível atingir o sucesso no mercado Brasileiro. A cultura de jogo está presente no Brasil e acreditamos que a Copa do Mundo que está tão próxima, demonstrará esses bons indicadores.

 

O BgC retorna de 22 a 24 de Abril de 2018 no Tivoli Mofarrej em São Paulo. Desde a primeira edição em 2013, o BgC tem desempenhado um papel fundamental em reunir os principais operadores, investidores e legisladores para explorar o potencial do mercado brasileiro de jogos e uma melhor forma de se preparar, uma vez que se torne legalizado. Garanta na sua participação no BgC 2018 aqui


Que exemplos de sucesso de sua empresa e de países com regulamentação recente pretende mostrar no painel do qual participará?
Ainda que os acordos de confidencialidade que regulam o nosso relacionamento com os nossos clientes não nos permitam identificar marcas, pretendemos demonstrar no Brasil um caso de sucesso de ativação de marca no mercado regulado Português. Vamos partilhar com a audiência do evento, os números do Mercado de Jogo Pré e Pós legalização, demonstrando assim os efeitos positivos que a legalização teve com os usuários, no mercado de trabalho, na sociedade e no esporte em geral.

O Brasil discute a aprovação apenas de cassinos em resorts integrados. É a melhor forma ou todas as modalidades esportivas deveriam ser contempladas?
Acreditamos que todas as formas de jogo deveriam ser contempladas. Para além dos Cassinos físicos, existem outras formas de jogo online e offline que necessitam dessa clarificação. Não só permitira criar empregos altamente especializados, como o próprio estado Brasileiro arrecadaria milhões de reais em impostos diretos e indiretos. O Brasil precisa sair da informalidade e apenas uma legalização totalmente aberta, vai trazer esse caminho do progresso.

Que recado daria para as autoridades para que não afastassem potenciais investidores do mercado brasileiro?
É essencial antes de mais que uma eventual agência reguladora que possa ser criada no Brasil, tenha total independência e autonomia. O processo de legalização não termina no momento em que a lei é liberada, sendo ao invés o início de um caminho onde novos intervenientes aparecerão. O mais importante será essa agência reguladora, que deverá ter o poder necessário para emitir um número ilimitado de licenças, a um preço razoável e uma carga tributária que faça sentido. No país onde temos a nossa sede (Portugal) existe hoje, uma carga tributária totalmente desajustada, com incidência na faturação ou turnover. Esse modelo tributário afasta ainda hoje potenciais investidores, perpetuando talvez ainda mais a existência de alguns operadores que continuam a operar na ilegalidade. Mais do que nunca é necessário criar condições para que a legalização dinamizadora de um novo clima de negócios no Brasil. Que envolva todos, para fazer mais e melhor. Que ofereça condições justas de desenvolvimento de negócio e responsabilidade social.

E que recado daria aos investidores interessados no mercado brasileiro de jogos?
Como especialistas que somos no mercado Brasileiro, ajudamos diariamente os nossos clientes a entender as especificidades culturais do Brasil. O mercado está vivo, vibrante e pronto a receber bons projetos, que agreguem valor a uma audiência que cada vez mais procura se divertir num ambiente seguro e protegido. A nossa equipe pode oferecer soluções que de um pouco mais de 3 meses, podem criar uma operação eficiente no Brasil e restantes países da América do Sul.

Fonte: Exclusivo GMB