SEG 22 DE OUTUBRO DE 2018 - 03:59hs.
Primeira pesquisa para o segundo turno

Datafolha mostra uma ampla vantagem de Bolsonaro sobre Haddad: 58% a 42%

A primeira pesquisa de intenção de votos divulgada após o início do segundo turno mostra que o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, tem 58% dos votos válidos, enquanto Fernando Haddad (PT) aparece com 42%. Na contagem dos votos totais, Bolsonaro tem 49%, enquanto Haddad tem 36%. Brancos e nulos somam 8%, e 6% não souberam responder. O resultado mostra um aumento na vantagem do deputado em relação a seu oponente para o dia 28 do outubro.

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) tem a 58% dos votos válidos na primeira pesquisa Datafolha divulgada após o primeiro turno das eleições de 2018. Fernando Haddad (PT) tem 42%. A contagem não considera votos brancos, nulos e indecisos.

Considerando as respostas de todos os entrevistados, o deputado federal do PSL mantém a dianteira com 49% das intenções de voto, enquanto o ex-prefeito paulistano tem 36%. Brancos e nulos somam 8% enquanto não sabe ou não respondeu representam 6% do total.

O instituto ouviu 3.235 pessoas nesta quarta-feira. A margem de erro é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos. O levantamento, contratado pela Folha de S.Paulo e TV Globo, foi registrado no TSE com o número BR-00214/2018.

Bolsonaro chegou ao segundo turno com a preferência de 46,03% do eleitorado (ou 49,2 milhões de votos). Haddad teve 29,28% dos votos válidos (31,3 milhões de votos).

O resultado mostra uma ampliação da vantagem de Bolsonaro em relação a seu oponente. Se os dois estavam tecnicamente empatados na véspera da eleição (com 45% para o deputado federal contra 43% para Haddad), agora a diferença é de 13 pontos percentuais considerados os votos totais.

A série histórica do Datafolha mostra que esta é a maior vantagem que um candidato impõe sobre o outro na largada do segundo turno de uma eleição presidencial desde 2002. Naquela ocasião, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) alcançou 64% dos votos válidos, contra 36% de José Serra (PSDB).

As pesquisas anteriores também mostram que, para vencer a eleição, Haddad precisará de um feito inédito: nunca um candidato que iniciou a segunda etapa atrás do adversário conseguiu a virada — em 2014, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) estavam em empate técnico à esta altura.

No primeiro turno, Bolsonaro teve 46% dos votos válidos, enquanto Haddad chegou a 29%. De acordo com o Datafolha, o potencial do candidato do PSL cresceu, em sua maioria, pelas adesões de eleitores que no primeiro turno escolheram Geraldo Alckmin (PSDB) e João Amoêdo (Novo).

Entre os eleitores do ex-governador de São Paulo, 42% declararam que agora vão votar em Bolsonaro, enquanto 30% disseram que vão optar por Haddad. Em relação ao eleitorado de Amoêdo, 49% afirmaram que preferem o candidato do PSL, e 18% sustentaram que vão escolher o petista.

No caso de Haddad, os percentuais mais expressivos de apoio vieram de eleitores de Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede). Na parcela que escolheu o ex-governador do Ceará no primeiro turno, 58% agora afirmaram que vão votar no petista, enquanto 19% preferem Bolsonaro.

Já entre os eleitores de Marina, 37% pretendem escolher Haddad, e 18% disseram que vão migrar para o capitão da reserva. O PDT já declarou apoio a Haddad, mas ainda não há definição sobre o papel de Ciro no segundo turno.

Fonte: GMB