QUA 17 DE OUTUBRO DE 2018 - 18:48hs.
MGM Cotai

MGM China abriu segundo 'resort' e cassino de 3.4 bilhões de dólares em Macau

Mais de mil quartos, 125 mesas de jogo, 900 'slot machines' e 300 obras de arte são algumas das características do MGM Cotai, segundo e novo empreendimento que foi inaugurado na terça-feira em Macau. A abertura ocorre num momento em que as receitas dos cassinos estão crescendo.

A MGM Resorts abriu o seu cassino resort de 3,4 bilhões de dólares no território, controlado pela China, de Macau na terça-feira, poucos dias antes do feriado do Ano Novo Lunar, na esperança de aproveitar o 'boom' nos negócios no maior centro de jogos do mundo.

MGM Cotai, que irá mais do que triplicar o número de quartos de hotel da MGM na antiga colônia portuguesa para 1.972, marca uma grande expansão em atrações que não estão ligadas ao jogo, numa altura de incerteza sobre o processo de renovação da licença de cassino que expira dentro de dois anos.

O novo resort, o segundo e o maior investimento da MGM em Macau, possui um teatro com 2.000 lugares e uma galeria de arte incluindo 28 tapetes da dinastia Qing, bem como um espaço de jardim de quatro andares com arte digital. A abertura ocorre num momento em que as receitas dos cassinos estão crescendo.

O presidente-executivo da MGM China afirmou ontem que a operadora “merece” uma renovação do contrato de concessão de jogo. Grant Bowie assinalou o aumento e a melhoria da oferta apresentada pela MGM no território e o investimento de 3.4 mil milhões de dólares americanos na construção do MGM Cotai, como dois dos motivos para a extensão da concessão, que termina em 2020. “Nós não vamos abandonar Macau”, afirmou o responsável, que falava na conferência de imprensa de abertura do novo empreendimento.

Na área do entretenimento, uma das grandes apostas é o MGM Theatre, o primeiro “teatro dinâmico da Ásia”, que tem capacidade para receber 2.000 pessoas (lugares sentados) e dispõe de um ecrã com 900 metros quadrados e 29 milhões de megapixéis.

Questionado sobre os consecutivos adiamentos (cinco) da abertura do empreendimento e o tempo previsto para pagar todo o investimento na nova estrutura do Cotai, Bowie respondeu: “Os atrasos não são muito importantes em termos de investimento. Nós dizemos sempre: queremos abrir quando estivermos preparados”.

“O grande desafio, para nós, foi Agosto [de 2017], quando o grande tufão atingiu Macau. Nós tivemos bastantes danos e tentámos reparar o que existia. Tivemos muito poucos estragos no MGM Macau e aqui tivemos que reparar algumas coisas. Nós estamos a pensar vários anos à frente e, por causa disso, é que é importante que estejamos a fazer o trabalho certo.”

O dirigente indicou ainda que “o mais importante é que vai haver um reforço e crescimento do mercado. Vamos fazer de tudo para aumentar e maximizar o retorno para nós e para os nossos accionistas”, disse.

O MGM Cotai vai integrar 1.390 quartos e ‘suites’, mas apenas “mais de 500” quartos ‘standard’ vão estar em operação depois da inauguração de ontem. Os restantes quartos estarão disponíveis para o público “em fases”, adiantou ontem o GGRAsia, citando um porta-voz da MGM China, que conduziu uma visita às instalações na segunda-feira. Grant Bowie não quis comprometer-se com uma data para a abertura da totalidade do MGM Cotai.

Pansy Ho destacou ontem, na conferência de imprensa de apresentação do novo empreendimento da MGM China no Cotai, que a arte e o entretenimento representam “uma combinação bastante inovadora” oferecida pelo MGM Cotai. “Esta é a nossa forma de entendermos a cultura de Macau e também de apresentar um novo investimento de entretenimento”, afirmou.

“[O MGM Cotai] tem investido bastante na nova tecnologia e também na cultura, no entretenimento e nas artes. Este é talvez um dos maiores investimentos de ponta em toda a Ásia. Podemos ter aqui mais de 300 peças de arte de toda a Ásia e temos 25 artistas da China que vêm apresentar aqui as suas obras”, disse Pansy Ho.

Bowie salientou que o novo espaço apresenta uma oferta diversificada e que terá “um grande valor acrescentado para Macau”. O responsável frisou que “muitas pessoas vêm com grupos de família, mais para entretenimento, não só para o jogo. O jogo vai ser forte, sim, mas neste período o entretenimento não-jogo também é muito importante”. O MGM Cotai não vai ter, para já, salas VIP, atirando a oferta do serviço para meados deste ano. O CEO avançou também que serão cinco, os junkets a operar naquele casino. J.F.

Fonte: GMB / Reuter