QUA 23 DE MAIO DE 2018 - 11:48hs.
PokerStars Caribbean Adventure

Brasil aumenta representatividade em torneios fora do país e ultrapassa Reino Unido

O PCA, disputado nas Bahamas, foi o primeiro grande torneio de pôquer do ano. E o Brasil mostrou que tem crescido no esporte e que tem cada vez mais representatividade. Com 37 representantes no Main Event, o Brasil só ficou atrás dos Estados Unidos, do Canadá e da Alemanha, porem ultrapassou o Reino Unido no ranking e foi o quarto colocado.

A organização do evento divulgou os números. O Brasil teve em 2018 quatro representantes a mais do que no ano passado. Mas há um detalhe importante.

Esse número poderia ter sido ainda maior, mas houve um aumento grande no valor da inscrição – o buy-in. Em 2017 a inscrição custava U$ 5.300, quase metade do que custou esse ano: US$ 10.300.

Os Estados Unidos lideram a lista de representantes com 126 jogadores. O segundo colocado foi o Canadá, com 90, seguido pela Alemanha, com 42. Vale lembrar que nesses países o pôquer é praticado há mais tempo do que no Brasil.

Dentre os brasileiros que foram às Bahamas para a disputa do PCA, Felipe Mojave foi o que se deu melhor. Ele terminou na 8ª colocação do evento High Roller de US$ 25.000 e faturou um prêmio de US$ 108.030, cerca de R$ 350 mil.

Hélio Cherem (US$ 38.380), Marco Aurélio “salsicha” (US$ 32.240), Marcos Antunes (US$ 30.630) e Gleidibe Brito (US$ 28.800) completam o TOP 5 de premiação dos brasileiros no PCA.

O maior prêmio do PCA ficou com o americano Cary Katz, campeão do Super High Roller de US$ 100.000, que faturou o incrível prêmio de US$ 1,5 milhão.

Fonte: GMB / Torcedores.com