SÁB 20 DE OUTUBRO DE 2018 - 19:46hs.
Alessandro Valente, Chefe de Aquisições da Vera&John

“Com a legalização, traremos novos jogos mais interativos e sociais para o Brasil”

A Vera&John, que opera jogos online nos principais mercados do mundo, participou do congresso Afiliados Brasil, onde recebeu o prêmio de melhor plataforma de jogos. O GMB falou com Alessandro Valente, Chefe de Aquisições na América Latina, sobre o evento, o processo de legalização da atividade no país e os planos da empresa para depois da regulamentação.

GMB – Fale um pouco sobre a trajetória da Vera & John. Quais os principais mercados em que atua, seus melhores produtos e quais seus próximos objetivos?
Alessandro Valente - A Vera & John é uma marca do Jackpotjoy  Group que atua no Brasil há três anos e agora está com um plano de expansão para a América Latina incluindo países como Chile, Colômbia, Argentina, México e outros, mas, o foco ainda está muito em cima do Brasil. É um site que oferece jogos de cassino, um site focado em um produto e por isso acaba fazendo um trabalho um pouco melhor. Hoje nós temos uma vasta gama de jogos, mais de 700 jogos, incluindo Hallowenn, Pachinco, Era do Gelo que são muito populares no Brasil e que são oferecidos online, regulamentados, com todo o suporte possível. Temos equipes de suporte, praticamente 24hs para o Brasil em português, todos os métodos de pagamentos necessários, transferência bancaria, então nós temos uma operação 100% adaptada.

A empresa esteve participando do congresso Afiliados Brasil na última semana, onde acabou escolhida como melhor plataforma de Gambling. O que levou a Vera & John a ser expositora nesse congresso e que perfil de novos clientes ela procurava?
Estivemos no congresso Afiliados Brasil para trazer mais afiliados. Os afiliados que nós conseguimos aqui, normalmente nos trazem melhor trafego, um jogador mais qualificado. Ele já vem trabalhado pelo afiliado e já entra na nossa plataforma com o desejo de jogar. E a Vera & John é um cassino divertido que não é tão monótono e onde você tem realmente uma experiência divertida de jogar.

Quais os projetos da Vera & John para o Brasil após a regulamentação total dos jogos no país?
Com a eventual regulamentação dos jogos nós provavelmente teremos  uma licença no Brasil para poder entrar na mídia aberta e divulgar de uma forma mais eficaz. Nosso projeto é sempre online, em todos os países onde nós atuamos hoje temos apenas operação online. Porém, ela é muito bem adaptada para cada um dos mercados. Então, a versão brasileira ela é 100% adaptada para esse mercado.

Além da licença para ajudar na divulgação, com os jogos legalizados, que tipo de produtos pretendem oferecer ao público brasileiro?
Provavelmente, quando os jogos estiverem regulamentados no Brasil, porque apostas esportivas já existe, porque tem ai o outro site, o Sua Aposta, que é licenciado; já existe jogo de azar no Brasil. Quando isso estiver regulamentado, provavelmente, nós traremos novos jogos, mais interativos e mais sociais para o país. Jogos como o vídeo bingo, passam a ser uma segunda opção e, por exemplo, bingo com chat e moderador passa a ser a primeira opção. E também live, que são jogos transmitidos ao vivo a partir do Brasil, que algo que não tem hoje. Esses jogos live são produzidos no leste europeu e não tem uma tropicalização, não é adaptado para o Brasil. E a medida que o jogo venha acontecer no Brasil, nós iremos investir em cassino ao vivo brasileiro.

Qual a sua avaliação sobre o processo de legalização dos jogos no Brasil? Acredita que ele poderia caminhar mais rápido?
O processo brasileiro é tardio, já vem com décadas de atraso, eu acho que já deveria ter sido aprovado há algumas décadas e que infelizmente não temos uma perspectiva real. Ouvimos falar de diversas datas, diversos debates, mas, nunca vejo nada de concreto.  Estou desde 2013 participando de algumas conferências como o Brazilian Gaming Congress, venho acompanhando o processo e não vejo algo acontecendo de fato.

O que poderia ser feito pelo marcado desde operadores até associações e outras entidades de jogos para acelerar esse processo?
A movimentação do setor já está ocorrendo. Acho que isso já não é mais o problema, no começo talvez, o começo que eu digo é lá em 2013, quando começaram a discutir isso de forma mais eficaz. Através do Brazlian Gaming Congress você começou a ver os operadores, tanto físico como online, procurando uma solução e trazendo informações para o governo. Mas, infelizmente não depende do setor. O mercado está disposto a fazer o que for necessário, o que precisa mesmo é que os governantes tomem uma atitude.

Voltando a falar do trabalho desenvolvido pela Vera&John. Além da América Latina, quais os país em que atua, que licenças possui e quais são as suas principais políticas de negócio?
Nós temos a licença de Malta; que é a nossa principal, e no Reino Unido. A companhia é uma empresa pública de capital aberto, negociada na Bolsa de Valores de Londres, então, nós temos uma responsabilidade muito grande com os investidores, com todo o complience e tudo que nós fazemos é sempre com o foco em qualidade e responsabilidade. Então, o jogo responsável para nós é muito importante.

Fonte: Exclusivo GMB