SEX 15 DE DEZEMBRO DE 2017 - 15:41hs.
BGC - Painel sobre Jogos Online

“Regulamentar o jogo online antes ajudará a testar a população brasileira”

Na última palestra do Brazilian Gaming Congress, os debatedores do painel Jogos Online – Migrando de um mercado negro para a regulamentação, acenaram com a proposta que uma legislação especifica de jogos online pode ajudar a testar o interesse da população pelo jogo, evitar perdas e impulsionar a regulamentação de outros modos de games.

Participaram do debate Helena Calderano, da Motegomery Associados/IMLG, como moderadora e os convidados Witoldo Hendrich Junior, da Online IPS; Vicente Vieira, da Abragames e Manifesto Games; Karen Marcela Sierra – Hughes, da GLI e Paulo Lopes, Ministro do Turismo de Portugal, que levantaram a possibilidade de que uma legislação de jogo online aprovada daria a oportunidade da população entender como funcionaria o jogo e tem a vantagem de já existir um mercado.

"O online já esta ai, é fácil. Não requer investimento como bingos e cassinos. Se fosse para testar podíamos começar como o online para ver como a sociedade brasileira se adapta ao jogo”, afirmou Witoldo Hendrich Junior, da Online IPS.

Porém, também foi falado que todo o setor de jogos precisa se unir para pensar em campanhas de marketing para informar os brasileiros a favor do jogo contrapondo os pontos levantados por opositores ao mercado, alguns setores da mídia e fazendo pressão junto as autoridades para que a legalização dos jogos aconteça.

Outro ponto levantado foi sobre a capacidade dos jogos protegerem seus consumidores de riscos como o vicio no jogo. O ministro do Turismo de Portugal falou sobre a experiência do país nesse sentido.

"Com regras podemos proteger essas pessoas. É importante regular, não vamos conseguir a situação perfeita. A experiência de Portugal ainda não é a melhor, vamos revela, mas, temos uma regulação que dá seguranças”, afirmou.

Quanto a possibilidade do mercado do jogo abrir portas para possíveis crimes novamente foi dito sobre a importância de uma regulamentação firme e expostas as experiências internacionais que poderão ser usadas a favor do Brasil quando regular os jogos.

"A industria dos jogos é a mais regulamentada do mundo, acho que nem os bancos tem tantas regras. Como ex-reguladora, me sinto mal quando as pessoas usam esse argumento para denegrir o mercado”, disse Karen Marcela Sierra – Hughes, da GLI.

Voltando ao assunto dos jogos online, Vicente Vieira, da Abragames e Manifesto Games afirmou que o mercado de vídeos games e o de jogos online caminham na mesma direção e muitos investimentos poderão surgir levando em conta que a população brasileira é uma das mais conectadas do mundo.

"O brasileiro é ultraconectado, a população pagante é grande e o existe crescimento dos social cassinos; todos esses dados atraem investidores. Existe um universo grande para ser trabalhado pelo online gambiling”, concluiu.

Fonte: GMB

Galería de fotos