SÁB 18 DE NOVEMBRO DE 2017 - 07:59hs.
César Halum, do PRB do Tocantins

Deputado anuncia formação de frente parlamentar para legalizar o jogo no Brasil

Como alternativa para aumentar a arrecadação de tributos e gerar empregos formais, César Halum, do PRB do Tocantins, defende a legalização do jogo no Brasil. O deputado anuncia a formação de uma frente parlamentar com esse objetivo e explica as vantagens de regulamentar a prática do jogo. 'Ao invés de criar novos impostos, pode-se criar novas atividades econômicas', disse Halum.

O deputado César Halum apontou a legalização dos jogos de azar como uma alternativa rápida e viável para ajudar o o governo a cobrir o rombo nas contas públicas, cujo déficit para este ano deve subir de R$ 139 bilhões para R$ 159 bilhões.

"Recentemente, o governo aumentou os impostos sobre os combustíveis, para arrecadar R$ 6 bilhões. Nós estamos de 1946 tolerando o jogo de forma clandestina. Se esse jogo fosse legalizado e tributado ele arrecadaria R$ 18 bilhões por ano, três vezes mais do que esse imposto sobre os combustíveis", disse Halum.

"O Brasil arrecada com o fumo, com cigarros, 4,9 bilhões de reais por ano. O Brasil arrecada com bebidas alcoólicas, 2,3 bilhões de reais por ano. Nós arrecadamos com as montadoras de veículos, as fábricas de automóveis, 2,2 bilhões por ano. E nós arrecadamos com combustíveis 5 bilhões por ano. Somando fumo, bebida, montadora de veículo e combustíveis, nós arrecadamos 16 bilhões. O jogo sozinho arrecadaria 18 bilhões de reais", afirmou o deputado.

"Ao invés de criar novos impostos, pode-se criar novas atividades econômicas", disse Halum, acrescentando que, na América do Sul, apenas o Brasil e a Bolívia não legalizaram os jogos.

 


 

 

Fonte: GMB