DOM 19 DE NOVEMBRO DE 2017 - 19:34hs.
Sem data definida

Gilson Braga: “Caixa não vai começar vendas de loterias pela internet no dia 24”

(Exclusivo GMB) – O superintendente de Loterias, Gilson Braga, negou que o banco estatal ira lançar a venda de jogos lotéricos online na próxima quinta-feira (24) como a FEBRALOT havia assegurado. Segundo ele, questões internas e o estudo de um melhor momento para o lançamento ainda impedem a saída. Sobre a porcentagem do repasse das vendas online para lotéricos, assegurou que a Caixa não mudou a proposta feita a classe.

O Superintendente de Loterias da Caixa, Gilson Braga, afirmou que a não vai começar a realizar vendas de produtos lotéricos na próxima quinta-feira (24) e que ainda não foi definida uma data para o inicio dessas vendas.

Essa informação circulou no começo do mês, quando a Febralot (Federação Brasileira dos Empresários Lotéricos) divulgou em uma nota que o Deputado Beto Mansur (PRB-SP) informou a entidade que a Caixa começaria as vendas online nessa data.

De acordo com Gilson Braga, a Caixa esta resolvendo questões internas sobre o assunto e que estudo sobre qual seria o melhor momento para o lançamento da venda dos produtos lotéricos pela internet ainda esta sendo feito.

O Superintendente de Loterias também afirmou que o banco estatal ainda não tem nenhuma definição sobre como ira acontecer o inicio das vendas pela internet desde a divulgação da data até os demais detalhes.

Questionado pelo GMB se uma das questões seria a proposta da Caixa quanto a porcentagem do repasse das vendas online que seria destinada aos lotéricos, Gilson Braga explicou que a Caixa não mudou a proposta feita a classe. O banco oferece uma taxa comissionamento de 3,11%, já os lotéricos defendem que ela deve ser de 7,11%.

Ainda sobre os lotéricos, Gilson Braga disse que a Caixa não tem o que comentar sobre a sondagem que está sendo feita pela FEBRALOT junto aos lotéricos sobre a venda de loterias na internet. Para ele, esse é um assunto interno da federação com a classe e não cabe a Caixa opinar.

Em primeira parcial da pesquisa, a FEBRALOT divulgou que 88,4% das pouco mais de 2700 participações, entendem como o mínimo adequado para o comissionamento uma taxa de 7,11%, como defende a entidade.

Fonte: Exclusivo GMB